domingo, 24 de fevereiro de 2013

CVC vai vender pacote turístico para São Bernardo do Campo

Guilherme Paulus, fundador da CVC, afirma em entrevista exclusiva à equipe do Diário que a companhia vai começar a vender pacotes turísticos que têm São Bernardo como destino. Para ele, o Riacho Grande e a Cidade da Criança são os grandes atrativos.

O executivo sonha ainda com a criação do Museu Automotivo no município, o que traria ainda mais interesse dos viajantes. Hoje, ele é presidente executivo e do conselho administrativo da companhia, que em 2010 foi vendida para o fundo norte-americano Carlyle. Antes de se tornar a gigante do setor, a CVC, que iniciou suas atividades em Santo André, vendia pacotes para metalúrgicos.

DIÁRIO - A CVC vai começar a vender pacotes com São Bernardo como destino. É o momento da cidade? Qual é a sua impressão sobre o cenário atual do município?

GUILHERME PAULUS - A revitalização da Cidade da Criança e do bairro Demarchi e a indústria moveleira estão na lista de atrativos. Sem contar que a gente tem grande chance de abrir as portas para os esportes aquáticos, que têm um fantástico poder de reativar a represa (Billings).

DIÁRIO - A represa é a principal atração da cidade?

PAULUS - Eu acho que é um dos pontos fortes do turismo de São Bernardo.

DIÁRIO - Mas a rede hoteleira do município, e próxima à represa, é adequada para atender os turistas?

PAULUS - Ainda não. Os turistas terão que ficar hospedados mais próximos do Centro de São Bernardo e fazer os traslados para os passeios da represa ou para a Estrada Velha da Anchieta. Este, por exemplo, é um destinos com grande poder para ser explorado turisticamente. Tínhamos também um grande sonho, em São Bernardo, que era fazer o Museu do Automóvel. Eu estava lá com o (prefeito Luiz) Marinho (PT) desde o começo desta ideia.

DIÁRIO - Mas a ideia morreu? O projeto do museu parou?

PAULUS - Não parou. Estamos trabalhando a ideia ainda, mas sem prazos.

DIÁRIO - Algo sobre o assunto para este ano?

PAULUS - Não, não! Vai demorar um pouco mais. Mas é uma grande ideia. Um museu contando um pouco a história da indústria automobilística no Grande ABC. São Bernardo foi o berço dessa história.

DIÁRIO - E qual será o roteiro nacional com mais destaque neste ano?

PAULUS - Os destinos de sol e mar são sempre mais fortes. Temos colocado nossas fichas no Nordeste brasileiro. É o grande potencial. Sem contar que você tem o Caribe e a República Dominicana, que estão crescendo muito como destinos turísticos e são bons para o bolso do brasileiro. Não vou dizer que é barato. Mas têm tamanho bom para o bolso do brasileiro.

DIÁRIO - O Nordeste tem potencial tanto para os brasileiros quanto para os estrangeiros?

PAULUS - Ainda não, porque os céus (trajetos de aviões) brasileiros não estão abertos totalmente. Agora que abriram os céus para os norte-americanos. Então, as companhias estrangeiras poderão vir para cá e fazer um trabalho com as empresas locais para trazer os turistas de fora. Acredito que é um grande passo inicial que estamos dando.

DIÁRIO - E sobre seus projetos pessoais? Você desenvolve mais algum?

PAULUS - Nós estamos com a GJP Hotéis. A rede já está com 13 unidades. Também temos sete hotéis em obras para inauguração em 2014 e 2015 e o nosso objetivo é, para até o fim de 2015, ter 25 unidades.

DIÁRIO - Mas vai ficar apenas no segmento de hotéis? Nada de transportes?

PAULUS - Não, não. Só nesta área já está bem completo. E nada mais de transporte (ele vendeu a Webjet para a Gol). Vamos ficar por aqui mesmo, na hotelaria e no turismo.

Texto de Pedro Souza - Publicado no Diário do Grande ABC - 24/02/2013.

Um comentário:

Anônimo disse...

Nossa querida cidade com mais de 60% de area em mata atlantica tem um potencial turistico enorme com trilhas ecologicas monitoradas caminhadas radicais entre mata nativa,espacos historicos de relevancia nacional,nossa represa com seus bracos magnificos poderia haver diversas atividades nauticas como aulas de veleiros e etc..e' tambem um polo de vinicultores artesanais todos descendentes de antigos imigrantes italianos,portugueses,espanhois poderia se promover visitas e degustacoes aos espacos desses produtores ...enfim,muita coisa em SBC poderia ser muito melhor aproveitado como turismo,mas ha de se fazer e por em pratica